segunda-feira, 16 de março de 2009

“MIRAGEM”

Vou andando e olhando o céu
(eu só com meu pensamento),
sou mais feliz assim, ao léu,
pois tenho tudo o que invento...
Num braço levo a lira
que distrai o meu tormento –
tudo é feito de mentira;
mas essas coisas que invento
nunca me trazem tristezas
como as que – às vezes – tento...
Teus passos vão com meus passos
por onde vou e caminho,
tua voz enche os espaços –
e segura nos teus braços –
me adivinho!
Bem feliz que é o poeta:
resolve a sua própria sina –
escreve uma linha reta e

tem tudo o que imagina!”

Autor desconhecido.

Nenhum comentário: