segunda-feira, 5 de maio de 2008

Mal Secreto


Se a cólera que espuma, a dor que mora
N'alma, e destrói cada ilusão que nasce,
Tudo o que punge, tudo o que alvora
O Coração no rosto se estampasse;
.
Se se pudesse, o espírito que chora,
Ver através da máscara da face,
Quanta gente, talvez, que inveja agora
Nos causa, então piedade nos causasse!
.
Quanta gente que ri, talvez consigo
Guarda um atroz, recôndito inimigo
Como invencível chaga cancerosa!
.
Quanta gente que ri, talvez existe,
Cuja única ventura consiste
Em parecer aos outros venturosa!
Raimundo Correa (1860-1911)

Nenhum comentário: